Manifestação na Uerj reúne trabalhadores e estudantes de diversas instituições de ensino por vacina, pão, saúde e em defesa da educação.

0
227

Estudantes e trabalhadores da Educação em todo país realizaram na quarta-feira, 19/5, uma mobilização nacional por vacina, pão, saúde e em defesa da educação. O Projeto de Lei (PL) 5595/20 (que prevê a reabertura de escolas, universidades, institutos e Cefet no pior momento da pandemia da Covid-19) também foi alvo dos protestos, assim como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20, da reforma Administrativa. As manifestações reivindicavam ainda a revogação da Portaria do MEC 983/2020, que traz ataques aos professores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, além da recomposição do orçamento das instituições federais e estaduais de ensino superior. O clamor coletivo pelo “Fora Bolsonaro e Mourão!” também esteve na ordem do dia.

Na Uerj, o dia de Paralisação Nacional em Defesa da Educação reuniu, no campus Maracanã, professores, servidores técnico-administrativos e estudantes da Uerj, do Cefet, do Colégio Pedro II, e de outras instituições e de ensino secundário do estado. Também estiveram presentes representantes de entidades como a Aerj (Associação de Estudantes secundaristas do Estado do Rio de Janeiro), Fenet (Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico), Andes-SN Regional Rio, Asduerj, Sintuerj, além dos DCEs da Uerj e do Cefet.

Durante o ato, foi fixada uma grande faixa com a palavra de ordem “Vacina no braço, comida no prato” na fachada principal do Pavilhão João Lyra Filho. Outras faixas menores chamando atenção para os ataques que vêm sofrendo a educação e os serviços públicos, com a palavra de ordem “Fora Bolsonaro e Mourão”, foram colocadas no campus e na rampa do Metrô da Estação Maracanã.

Para o programa Conjuntura Live, que cobriu todo o ato, a diretora da Asduerj Renata Gama destacou que a Educação sempre teve um papel de vanguarda na Resistência e continua a ter agora na luta pela saída deste governo genocida. A presidente da Asduerj, Cleier Marconsin, lembrou que o Ato foi um dos vários que acontecerão ainda neste mês de maio e no próximo.

Representantes das entidades estudantis convidaram todos e todas para uma nova manifestação no dia 29 de maio. “Sofremos um duro corte no nosso orçamento este ano e ainda fomos contingenciados em mais 5 milhões de reais”, protestou o presidente do DCE-Cefet, Christina Vicenzi. Contudo, se conseguimos derrubar uma intervenção e empossar o reitor eleito pela comunidade do Cefet durante a pandemia, conseguiremos destituir esse governo genocida, defendeu uma das estudantes da Instituição presente ao ato.

Veja mais imagens do ato

Veja também a matéria do Conjuntura Live

Confira imagens dos protestos pelo país na página do Andes-SN no Facebook

Veja o vídeo da manifestação no Instagram da Asduerj