Contra violência bolsonarista, Lula no primeiro turno

0
182

No próximo domingo, 2 de outubro, ocorrerão as eleições gerais do país. Teremos a oportunidade de eleger o próximo presidente, governador, senador e deputados estaduais e federais. Desde o chamado processo de redemocratização, o respeito ao resultado das urnas nunca esteve tão ameaçado.

Nos últimos anos, o Brasil tem sofrido com graves cortes na educação e na saúde, denúncias de escândalos envolvendo dinheiro vivo e esquemas de troca de verbas em ministérios importantes como o MEC, além do aumento do desemprego e da fome operados por Bolsonaro e Paulo Guedes.

O discurso violento de combate aos opositores e os ataques racistas, misóginos, machistas e xenófobos contra nordestinos e países sul-americanos têm estimulado o aumento da violência social reacionária. Os ataques desferidos pelo atual presidente contra o sistema eleitoral, em especial às urnas eletrônicas, buscando desacreditar uma possível derrota no pleito, acentuam ainda mais esse tipo de violência, o que se estende também ao Estado do Rio de Janeiro.

Nesse sentido, nenhum voto a candidaturas que ataquem a vida, a educação pública e a democracia. Nenhum voto em candidatos bolsonaristas.

Não é hora de vacilar! A Asduerj acredita que não se pode permitir qualquer brecha institucional ou política para que Bolsonaro se aproveite de um possível segundo turno, a fim de dar continuidade ao seu projeto autocrático. O voto no candidato que se organizou a partir da frente ampla democrática e que tem condições de vencer Bolsonaro no próximo domingo, Luiz Inácio Lula da Silva, torna-se então uma necessidade urgente para nosso país.

Artigo anteriorPara defender a UERJ é preciso que a Reitoria vá às últimas consequências
Próximo artigoEm pauta, os impactos da pandemia e as ações afirmativas na universidade