Comissão da Asduerj estuda projetos para atendimento à saúde dos(as) aposentados(as) e agenda I Encontro Artístico-Cultural

0
225

Aconteceu no dia 6 de setembro o segundo encontro presencial da Comissão de Aposentados e Aposentadas da Asduerj. Na pauta, o direito à saúde, cultura e lazer.

Prioridade à saúde

Uma questão central para a Comissão de Aposentados(as) da Asduerj é o direito à saúde. A possibilidade de criar mecanismos para priorizar o atendimento destes(as) docentes nas unidades clínicas e hospitalares da universidade e/ou do estado deverá ser um norte de atuação da Comissão.

Para dar consequência a esta proposta, o grupo identificou neste segundo encontro a necessidade de buscar informações sobre marcos regulatórios do Sistema Único de Saúde, assim como relacionar as estruturas clínicas e hospitalares existentes. Esse levantamento será feito em duas frentes, procurando mapear o que há a esse respeito tanto na universidade quanto no estado e, a partir deste estudo, a Comissão pretende criar uma proposta a ser debatida com a Reitoria e a Pró-Reitoria de Saúde (PR-5) da Uerj.

Sextou com os/as aposentados/as!

Como encaminhamento do segundo ponto da pauta, a Comissão deliberou pela realização do I Encontro Artístico-Cultural de Aposentadas(os) da Uerj. Um edital de convocação para apresentação de trabalhos destes docentes deverá ser divulgado pela Comissão ainda na segunda quinzena de setembro. Os trabalhos inscritos serão selecionados para a apresentação no evento, que foi agendado para o dia 9 de dezembro – uma sexta-feira – das 17h às 21h, na sala Glória Schaper, 1º andar do prédio principal do Campus Maracanã. O local foi reativado após a pandemia, com a realização da segunda reunião da Comissão de Aposentados(as) e deverá servir de sede para outros encontros.

A próxima reunião da Comissão será no dia 27 de setembro, às 15h. A Comissão está aberta e incentiva a participação de todas e todos docentes aposentadas(os).

Artigo anteriorNota da Assessoria Jurídica da Asduerj sobre o aumento da alíquota previdenciária
Próximo artigoPara defender a UERJ é preciso que a Reitoria vá às últimas consequências