Manifestação na Uerj denuncia exclusão decorrente do Ensino Remoto

0
495

Estudantes da Uerj realizaram na última quarta-feira, 11/11, um Ato Público no entorno do Campus Maracanã para denunciar a exclusão acarretada pelo Ensino Remoto Emergencial (ERE).

A concentração para o ato começou no final da tarde em frente ao portão 3 do Campus. Por volta das 18h, os manifestantes seguiram em passeata em direção à Rua São Francisco, ocupando uma faixa da pista no sentido Radial Oeste, sendo escoltados por dois carros da polícia. O ato também contou com a participação de estudantes de outras universidades públicas do estado e professores da educação básica.

Nas falas e palavras de ordem, os manifestantes criticaram a implementação do ensino remoto, não só na uerj, mas nas universidades brasileiras de forma geral. Segundo eles, o ERE foi implementado como mecanismo de privatização das universidades públicas.

A Reitoria da Uerj também foi alvo das críticas. Os manifestantes denunciaram o descumprimento da promessa de distribuição de tablets. O que, segundo eles, não atingiu a maior parte dos estudantes da Uerj, beneficiando apenas alunos do CAp.

Para os manifestantes, a situação se torna ainda mais grave, porque o atual período segue para a finalização, com a perspectiva de ocorrer um novo PAE no próximo semestre, sem que haja garantias mínimas de acesso aos estudantes mais pobres. “Novamente a decisão é tomada de cima para baixo, sem as condições de estudo paliativas antes apontadas pela reitoria como solução”, protestaram.

Artigo anteriorAssembleia Docente Virtual: inscrições começam no dia 13/11
Próximo artigo“Não tá Normal”: avaliação ampla e democrática do PAE 2020.1 na Uerj!