Moção de apoio à greve dos trabalhadores técnico-administrativos das universidades públicas federais, à mobilização do setor da educação e à construção da greve unificada do funcionalismo público federal em 2024

0
444

Nós, docentes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, reunidos na assembleia docente, convocada pela Asduerj no dia 11 de março, manifestamos o nosso apoio à greve dos trabalhadores técnicos administrativos das universidades públicas federais, iniciada hoje. Esses servidores possuem o pior piso do funcionalismo público federal e hoje se colocam em luta para reivindicar melhores condições de trabalho, a recomposição salarial, a reestruturação do plano de carreira dos técnicos administrativos em Educação, a jornada de 30h, contra a ponto eletrônico, entre outras reivindicações. Já são mais de 40 universidades públicas que deflagraram greve em suas bases numa adesão que tende a crescer.

Também manifestamos nosso apoio total à construção da greve nas Instituições Federais de Ensino aprovada no 42º Congresso do Andes-SN. Que a mobilização no setor da educação possa avançar e que as bases das seções sindicais, durante a realização de suas respectivas assembleias, possam engrossar o movimento paredista.

Diante dos desafios da conjuntura atual, dos ataques ao serviço público, do avanço da privatização e com ultraconservadores avançando em postos representativos importantes como a Comissão de Educação, é fundamental a unidade na luta dos servidores públicos para lutarmos pelas pautas específicas das categorias, por uma educação pública de qualidade e também contra a reforma administrativa.

Por esses motivos, nós, docentes da Uerj, também em luta pela nossa recomposição salarial, manifestamos apoio total e irrestrito à greve unificada do funcionalismo público federal.

Foto: Antônio Renato/Baixo Jaguaribe

#Paratodosverem: foto de trabalhadoras e trabalhadores segurando cartazes com mensagens de mobilização. Em uma delas aparece com nitidez a frase “Técnicos Administrativos em luta”. Fim da descrição.

Artigo anteriorAssembleia docente aprova paralisação por 24h na quarta-feira, 13/3
Próximo artigoEstudo sobre perda salariais de docentes é apresentado em oficina do GT verbas do Andes-SN