Nota da Asduerj em apoio à greve da educação do Paraná e à Presidente da APP-Sindicato, Walkíria Mazeto

0
78

A Asduerj expressa sua solidariedade à presidente da APP-Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, Walkiria Olegário Mazeto, e seu apoio à greve das e dos profissionais das escolas estaduais paranaenses.

Manifestamos também nosso repúdio veemente ao pedido de prisão imediata da presidente da App por parte da Procuradoria Geral do Estado do Paraná (PGE-PR), a partir de uma determinação do governador Ratinho Júnior (PSD-PR).

A PGE-PR indicou ainda uma multa ao sindicato no valor de R$ 100 mil reais/dia, a contar da data do início da paralisação e também à professora Walkiria no valor de R$ 10 mil.

No pedido a Procuradoria do estado alega que a greve é ilegal, devido a uma determinação do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), no sábado, 1/6, de suspensão do início da paralisação, deliberada em assembleia da categoria no dia 25 de maio.

A greve da educação do Paraná começou na segunda-feira, 3/6, contra o projeto de lei que terceiriza a gestão de 204 escolas estaduais do Paraná.

A Asduerj junta-se à APP-Sindicato para denunciar as atitudes antissindicais e ilegais do governo Ratinho Júnior, além do uso da truculência, autoritarismo e abuso de poder contra a organização das trabalhadoras e trabalhadores da educação do Paraná.

Privatistas, golpistas, não passarão!

Foto: Altivista/APP-Sindicato

#Paratodosverem: foto colorida de uma passeata numa avenida, com manifestantes segurando uma faixa com a inscrição “Não venda a minha escola. O governo quer entregar à educação pública à iniciativa privada”, em letras brancas sobre fundo preto, em primeiro plano. Ao fundo mais manifestantes entre prédios, árvores e bandeiras. Fim da descrição.

Artigo anteriorEm assembleia que mostrou crescimento da mobilização, docentes deliberam por apoio à pauta de substitutos/as e permanência da Asduerj em frentes de luta
Próximo artigoManifesto por condições igualitárias de trabalho e produção científica para os docentes do CAp-UERJ