Reivindicações de trabalhadores e estudantes da Uerj são objetos de Atos Executivos da Reitoria

0
358
binary comment

A sentença só “a luta organizada muda vida” mostrou mais uma vez sua evidência para trabalhadores e estudantes da Uerj. O site oficial da universidade divulgou nesta quarta-feira, 2/6, a publicação de Atos Executivos de Decisão Administrativa (Aeda) que contemplam algumas pautas de luta que a comunidade uerjiana vem travando desde o início da pandemia.

O auxílio-alimentação para alunos cotistas e em vulnerabilidade social durante os períodos emergenciais, quando o Restaurante Universitário não se encontra em funcionamento, contemplado agora pelo Aeda 25/2021, é uma luta conjunta empreendida por trabalhadores e estudantes da universidade, desde o ano passado.

A proposta oriunda de membros da bancada estudantil do Consun que participavam da campanha auxílio-alimentação na Uerj foi aprovada e acolhida em reuniões realizadas com representantes da Asduerj, do Sintuperj, do DCE e da APG/Uerj com a Comissão Permanente de Legislação e Normas (CPLN) do Conselho Universitário (Consun), nos dias 28 de setembro e 5 de outubro de 2020. Após muita luta, a reivindicação foi aprovada, finalmente, como a Resolução 03/2021 do Consun, em maio deste ano, efetivada agora por meio deste Aeda.

O auxílio para docentes e técnico universitários efetivos, como suporte tecnológico durante o trabalho remoto, era outra reivindicação prevista no item 3 do texto original de Garantias e Direitos dos Docentes na Situação de Ensino Remoto Emergencial, proposta pela Asduerj e aprovada em Assembleia Docente, no dia 27 de julho de 2020. O item, após retirado da proposta encaminhada pela Reitoria ao Consun, transformou-se no artigo 5º da Resolução 12/2020, aprovada após muita luta em outubro de 2020.

O reajuste dos valores do auxílio-alimentação e creche também era “uma antiga reivindicação da comunidade universitária”, como reconhece o informe da reitoria. A questão foi um dos itens de pauta constantes do ofício enviado à Reitoria, no dia 18 de maio, pela Asduerj e Sintuperj, em que as entidades solicitavam uma reunião conjunta com a administração da universidade. O que, no entanto, não ocorreu.

Vale registrar ainda a omissão na nota divulgada pela Página Oficial da Uerj a professores substitutos e técnicos universitários contratados, que também merecem ser compensados com o auxílio tecnológico pela dedicação “que vêm mantendo o trabalho remotamente desde março do ano passado, quando as atividades presenciais foram suspensas”.

A diretoria da Asduerj cobrará ao presidente da Copad, o Vice-Reitor, Mário Sérgio Carneiro, a inclusão destes trabalhadores entre os beneficiados pelo Aeda 23.

Artigo anteriorComunidade da Uerj se junta a milhares em todo país no Ato em defesa da Vida, pelo fim do Governo genocida
Próximo artigoOrientações sobre triênios na Assembleia Docente