Casos de Covid no CAp preocupam docentes da unidade

0
355

Com pouco menos de um mês do reinício das aulas no Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues Silveira – o CAp-Uerj – docentes da unidade convivem nas últimas semanas com a apreensão decorrente do aumento do número de casos de Covid-19 na unidade, numa situação que reflete o crescimento da taxa de positividade no Rio de Janeiro desde a segunda quinzena do mês de maio, como divulgado pelas secretarias de Saúde do estado e também do município.

O assunto tem sido pauta de reuniões online realizadas desde o início do mês, por iniciativa da representação do CAp no conselho da Asduerj, com a presença da diretoria da entidade. A primeira delas, no dia 2 de junho, contou com a participação de 35 docentes, do diretor do Instituto, professor Thiago Almeida, e de membros da Pró-Reitoria de Saúde da Uerj (PR-5), entre eles o pró-reitor, professor Rogério Rufino.

A PR-5 e a direção do CAp reiteraram, neste encontro, os parâmetros adotados para minimizar a propagação da Covid-19, como a suspensão das atividades de todo um grupo ou turma com taxa de positividade de 10% + 1 (indivíduo). Informaram ainda a instalação de um centro de testagem na unidade, que está em atividade desde o dia 27/5, e a abertura de um posto de vacinação no Instituto, que começou a funcionar no dia 03/06.

As professoras e os professores demonstraram, na ocasião, preocupação com relação aos protocolos adotados pela direção do Instituto, a partir das orientações da PR-5. Alegaram que as especificidades do CAp em comparação às demais realidades presentes na Uerj requerem procedimentos diferenciados. “A unidade lida com crianças, adolescentes e jovens, num espaço amplo e ainda em processo de adaptação”, argumentam.

No final da reunião, foi constituída uma comissão de docentes do CAP, responsável pela elaboração de uma carta à direção do Instituto, solicitando a suspensão imediata das aulas para conter a disseminação da Covid-19.

Em carta à Reitoria, docentes do CAp reiteram pedido de suspensão das aulas

Em um novo encontro no dia 9/6, os docentes manifestaram a insatisfação frente à ausência de resposta ao seu pleito pela direção do CAp e a necessidade de debater estratégias de mobilização frente à situação. A diretoria da Asduerj destacou a importância do tema para o conjunto da universidade, tendo em vista o retorno presencial em todos os campi, a partir do dia 13/6. Comprometeu-se também a convocar assembleia geral da categoria, no dia 21 de junho, para avaliação do retorno presencial e dos riscos pandêmicos.

Os docentes do CAp propuseram, como encaminhamento, o envio à Reitoria de uma versão ampliada da primeira carta, com cópia à PR-5 e à direção da unidade. O documento solicita uma reunião com a Reitoria para discutir a suspensão imediata das aulas. Uma nova reunião do corpo docente, ampliada para outros segmentos, foi agendada para o dia 13/6.

Em resposta à carta dos docentes, a direção do CAp-Uerj informou na segunda-feira, 13/6, que, até o momento, o percentual de positividade está abaixo de 2%, considerando toda a comunidade do Instituto. Para o diretor, este resultado “mostra claramente que o surto de Covid tem se mostrado controlado no CAp”. Afirmou ainda que divulgará informes semanais para que todos possam acompanhar o monitoramento da comunidade.

Contudo, na reunião realizada no dia 13/6, os docentes consideraram que os encaminhamentos ainda são insuficientes e que seguem aguardando resposta para o pedido de reunião com a reitoria.

Pouco antes do fechamento dessa matéria, a Asduerj teve acesso a oficio da PR-5 encaminhado ao gabinete do Reitor, no qual a Pró-Reitoria de Saúde recomenda “que as atividades acadêmicas sejam preferencialmente não presenciais, nas próximas duas semanas. Durante esse período, novas orientações e protocolos serão apresentados, sendo um deles o MONITORA UERJ, painel público de vigilância da infecção e de vacinação por unidade acadêmica”.

Assim, após duas semanas de intensas reivindicações dos docentes do CAP, confrontadas por argumentos da PR5 que asseguravam condições para retorno presencial seguro, observa-se que, mais uma vez, a universidade optou não ouvir sua comunidade acadêmica, em seus espaços deliberativos e coletivos, como o Conselho Universitário, ou mesmo a Comissão da PR5, mas por transferir a cada uma das unidades acadêmicas a responsabilidade pela condução desse processo. A Asduerj avalia que esta postura alimenta desigualdades na Uerj. O que é inaceitável. Neste sentido, entendemos que, ao menos no âmbito das unidades acadêmicas, deva ser garantido um processo amplo de escuta e discussão democrática de sua comunidade acadêmica interna. E que seja retomada a vacinação do campus Maracanã.

Colégios de Aplicação adotam diferentes medidas diante do aumento de casos

Com o crescimento do contágio da Covid-19, as direções dos colégios de Aplicação das Universidades Públicas do Rio têm adotado procedimentos diversos para conter a propagação da nova variante nas suas comunidades.

CAp-UFRJ

A direção do CAp-UFRJ suspendeu as aulas na sexta-feira, dia 3 de junho, para que estudantes, servidores e servidoras pudessem fazer testes para Covid. As aulas foram retomadas na segunda-feira seguinte, dia 6 de junho. Na sua página oficial, o Colégio reproduz notícia do Portal UFRJ, informando que o Centro de Triagem Diagnóstica de Covid-19 (CTD), da Universidade, não recomenda a interrupção ou suspensão automática de atividades presenciais, mas orienta que os indivíduos que suspeitem estar com o coronavírus, procurem a testagem e que comuniquem imediatamente à coordenação do curso, no caso de estudantes, ou à chefia imediata, se for profissional da universidade.

CTUR

A direção do Colégio Técnico da UFRRJ suspendeu as atividades no período de 6 a 9 de junho, retornando ao presencial nesta segunda-feira, 13. Em sua página, o CTUR afirma ser fundamental que toda a comunidade escolar esteja com a dose de reforço da vacina em dia e utilize máscara nas dependências do Colégio e também nos transportes públicos. Recomenda ainda que não compareçam à atividades presenciais quem apresentar casos de febre e sintomas respiratórios.

ColuniUff

A direção do Colégio Universitário Geraldo Reis da UFF publicou na segunda-feira, 13/6, em sua página na Internet faz um apelo aos e às responsáveis para que as e os estudantes maiores de 12 anos sejam levados ao posto de saúde para aplicação da dose de reforço contra a doença o quanto antes. Também reforçam que estudantes com sintomas não devem ser enviados ao Colégio.

Assembleia dos Docentes da Uerj

A diretoria da Asduerj vem acompanhando as ações para o retorno presencial seguro na Universidade, tanto no que se refere à proteção à saúde das/dos docentes, quanto aos efeitos da pandemia para a universidade. Assim, o retorno presencial e os riscos pandêmicos serão um dos pontos de pauta da assembleia que será realizada no dia 21 de junho, às 14 horas, no auditório 71 do Pavilhão João Lyra Filho

Artigo anterior58,7% dos domicílios brasileiros convivem com Insegurança alimentar, aponta pesquisa
Próximo artigoEm Carta Aberta, Representação Docente denuncia tratamento desigual à comunidade do CAp pela Reitoria