Em defesa da vida, manifestações em todo país exigem Fora Bolsonaro e Mourão

0
174

No dia em que o Brasil ultrapassou a trágica marca de mais de 500 mil mortes por Covid-19, manifestantes ocuparam neste sábado, 19/6, as ruas de mais de 400 cidades em todo o país com protestos que exigem a saída imediata do governo genocida de Bolsonaro e Mourão, a celeridade na vacinação, auxílio emergencial digno, mais investimentos em Educação e Saúde, além da defesa dos povos indígenas, da Amazônia e a não aprovação da PEC 32 (Reforma Administrativa).

A observação dos protocolos de segurança com a utilização de máscaras, álcool em gel e a busca por manter o distanciamento entre os manifestantes prevaleceu em todos os atos. “Não somos negacionistas. Estamos nas ruas em defesa da vida e porque o maior ataque ao nosso país está na presidência da República, permitindo a morte de mais de 500 mil brasileiros. Não temos mais condições de conviver com essa situação”, salientou a presidenta do Andes-SN, Rivânia Moura, no protesto realizado em Brasília.

Professores, técnicos universitários e estudantes da Uerj participaram em grande número do ato, que ocupou três pistas da Av. Presidente Vargas, no Rio de Janeiro, num trajeto que seguiu do Monumento a Zumbi dos Palmares até a Igreja da Candelária.

A Asduerj levou faixas que se posicionavam em defesa do serviço público de qualidade, contra as reformas e os ataques à educação do governo Bolsonoro e Mourão. Cartazes com a frase “fascista não passarão” lembravam dos ataques frustrados de parlamentares bolsonaristas à Uerj.

Para o diretor da Asduerj Frederico Irias, as manifestações marcam um importante retorno às ruas, de onde não se deve sair até que Bolsonaro pague pelas milhares de vidas perdidas

Veja vídeo com imagens do Ato

Veja outras imagens do 19J

 

 

 

Artigo anteriorNeste sábado, 19/6: Concentração no Monumento a Zumbi (Av. Pres. Vargas), às 10h
Próximo artigoAsduerj negocia recomposição salarial junto ao Fórum Permanente de Servidores Públicos