Pelo fortalecimento da democracia universitária

0
260

A Comissão Eleitoral Geral divulgou, oficialmente, nesta segunda-feira, 13/11, o resultado do 1º turno das Eleições Gerais para cargos diretivos da Uerj, no quadriênio 2024-2027.

Segundo informe divulgado nos perfis da Uerj e da Secretaria dos Conselhos (Secon) em uma rede social, mais de 14 mil estudantes, técnicos e docentes compareceram às urnas no primeiro turno, configurando uma expressiva e salutar participação da comunidade universitária no processo.

É sempre bom lembrar que a escolha dos dirigentes da Uerj pela comunidade universitária, por meio de eleições diretas, foi uma conquista da luta dos movimentos sociais da universidade, entre estes a Asduerj, que, desde meados da década de 1980, assumiu um papel fundamental na construção e fortalecimento dos instrumentos de democracia interna. Um processo que tem demandado um esforço permanente para superar suas contradições e imperfeições.

Se podemos comemorar o expressivo comparecimento às urnas, o primeiro turno das eleições gerais na Uerj demostrou que, infelizmente, a universidade não está livre das ameaças mais recentes que atentam contra a democracia no país e no mundo. Não foram poucas as vezes que foram utilizados Fake News e outros meios espúrios com a intenção de propagar desinformação e confusão, em benefício de uma ou outra chapa na disputa. Uma situação preocupante e que precisa ser combatida para que não se multiplique e não contamine o processo nas semanas que antecederão o segundo turno.

Ao longo das últimas quatro décadas, a atuação da Asduerj nas eleições da Uerj tem como foco o fortalecimento dos instrumentos de participação que ajudou a construir. A exemplo, a realização, junto ao DCE e Sintuperj, do debate que lotou a Capela Ecumênica da Uerj, no último dia 30 de outubro, reunindo as três chapas candidatas à Reitoria.

A Asduerj, no entanto, continuará a prezar por sua autonomia e independência em relação a partidos, governos ou instâncias administrativas da Uerj, buscando sempre o diálogo e a negociação, com qualquer daquelas ou daqueles que ocupem momentaneamente espaços de poder, na defesa dos direitos de sua base sindical e na luta por uma universidade pública, gratuita, democrática e socialmente referenciada.

A Asduerj saúda as chapas já eleitas, em primeiro turno, para administrar centros setoriais, unidades acadêmicas e de assistência. Espera ainda que o 2º turno das Eleições Gerais Uerj 2023 fortaleça o processo democrático na universidade, com uma participação ainda maior da sua comunidade, não só no momento do voto, mas também na discussão franca e transparente das questões que desafiam o seu desenvolvimento, com respeito mútuo entre as chapas concorrentes, os seus e as suas correligionárias.

Artigo anteriorFórum das estaduais do Andes-SN/RJ entrega pauta de reivindicações à Secti, em dia de mobilização pela educação
Próximo artigoColetivo Pré-congresso e GT Local do Andes-SN realizam primeira reunião de trabalho na Asduerj