Projetos voltam a ser alvo de suspeitas e celeridade na apuração da Universidade torna-se urgente

0
1415

A comunidade da Uerj acumula demandas históricas importantes, como a necessidade de reposição salarial, o aperfeiçoamento dos planos de carreira e do programa de assistência estudantil, além de um planejamento de melhoria das condições de trabalho. Na contramão da divulgação dessas justas e urgentes demandas históricas, temos visto nossa Universidade sendo alvo de investigação, sob suspeita de existência de “folhas de pagamento secretas”. De acordo com uma série de reportagens, publicada por um grande veículo de comunicação, haveria suspeitas de que o governo do Estado teria usado a Uerj para contratar aliados políticos do governador Cláudio Castro, reeleito nas últimas eleições.

Na última matéria publicada na quarta-feira, 15/03, há, pela primeira vez, a citação nominal de um servidor da Uerj. Trata-se de um procurador da universidade, que, na época dos fatos relatados exercia cargo técnico, e em seguida assumiu a posição de Chefe de Gabinete da Reitoria. Segundo a reportagem, “a esposa, a sogra, o cunhado, ex-sócios e até um ex-personal trainer do procurador aparecem em uma lista de 18 pessoas que receberam, em pouco mais de um ano, R$ 5 milhões em verbas públicas para bolsas de pesquisa sob suspeita”.

A Reitoria da Uerj divulgou, no mesmo dia da publicação da matéria, uma nota com tentativas de esclarecimentos frágeis e insuficientes, quando não evasivos. Entre as “providências” elencadas pela Reitoria para elucidar os fatos estaria a remessa de todos os casos para a “Comissão da Universidade para Apuração de Fatos e Responsabilidades em Projetos”. Instaurada em setembro de 2022, como menciona a própria Nota, a Comissão, no entanto, não apresentou, até esta data, relatório com o resultado das investigações.

A diretoria da Asduerj foi informada, no dia 16/03, da convocação de uma sessão extraordinária do Consun para o dia 31/03, tendo como pauta a apresentação do relatório da referida Comissão. Consideramos urgente a apuração e publicização dos fatos diante da gravidade do que foi exposto pelo Portal de notícias. É preciso ainda que a Universidade discuta a criação de mecanismos de prevenção de práticas que possam trazer suspeição à licitude e moralidade de seus atos, além de garantir transparência e democracia na alocação de recursos recebidos pela instituição. Do contrário, corremos o risco de sofrer sérios prejuízos às justas reivindicações de estudantes, trabalhadoras e trabalhadores da instituição.

A diretoria da Asduerj se reuniu na última sexta-feira, 17/3, para discutir esse grave momento da nossa universidade e vem a público requerer a antecipação da apresentação do Relatório da Comissão de Apuração para uma semana antes da realização do Consun, de tal forma que toda a comunidade uerjiana tenha possibilidade de debater amplamente o resultado dessa investigação. Já convocamos Reunião do Conselho de Representantes da Asduerj para o início da próxima semana, com objetivo de debater o tema. E propomos a realização de uma plenária com conselheiros universitários na retomada do período letivo.

Além disso, fazemos um chamado às demais entidades representativas das categorias, Sintuperj e DCE, para a construção unitária em prol da apuração das denúncias de irregularidades, em defesa da Uerj.

#Paratodosverem: Ilustra a Nota fotografia colorida de uma fachada interna do Pavilhão João Lyra Filho, prédio principal do campus Maracanã da Uerj. Fim da descrição.

Artigo anteriorFosperj protocola ofício ao governo estadual exigindo o cumprimento da recomposição salarial legal e devida
Próximo artigoEm reuniões da Asduerj, conselheiros indicam a ampliação do debate sobre suspeitas de irregularidades em projetos da Uerj