Recomposição salarial é uma conquista da luta unificada de servidores do estado

0
495

Os servidores do estado do Rio receberam nesta quinta-feira, 3/2, seus salários e proventos com um acréscimo de 13,5%, referente à recomposição de 50% das perdas inflacionárias acumuladas entre 6 de setembro de 2017 e 31 de dezembro de 2021. O último reajuste concedido ao funcionalismo estadual ocorreu em junho de 2014, quando foram excluídas diversas categorias, entre estas os docentes da Uerj. O argumento para a exclusão era, então, a vigência do parcelamento dos 65% do Adicional de Dedicação Exclusiva.

Mesmo que rebaixado diante do acúmulo inflacionário – especialmente quando se tem em conta as duas décadas de defasagem nos salários e proventos dos docentes da Uerj –, o reajuste atual expressa uma conquista não só pecuniária, mas principalmente política. O regime de austeridade de perfil neoliberal imposto ao estado do Rio de Janeiro tem enfrentado, nos últimos anos, a resistência dos servidores públicos do Rio de Janeiro. A Asduerj sempre esteve na comissão de frente desta resistência tanto em ações diretas, quanto em intervenções desencadeadas pelo Fórum Permanente dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro (Fosperj), do qual nossa associação faz parte desde a sua fundação.

Deve-se a esta luta a manutenção do adicional por tempo de serviço (também conhecido como triênio) para os atuais servidores no novo RRF, aprovado em outubro na Alerj. Foi desta forma também que se garantiu a permanência das licenças-prêmio (sem conversão em pecúnia indenizatória), além da manutenção da progressão e promoção nas carreiras. Direitos estes que eram retirados dos servidores pela proposta original enviada ao Legislativo.

A importância das conquistas não exclui porém a necessidade da luta por direitos específicos da categoria docente da Uerj. A recomposição das perdas acumuladas desde o último reajuste em 2001 é entre estes um dos maiores desafios. A Asduerj solicitou recentemente ao Dieese um estudo das perdas acumuladas nesse período, com o objetivo de balizar nossa luta. Como já afirmamos, defenderemos incondicionalmente o reajuste integral, a incorporação da DE nos triênios e o aumento salarial.

#Paratodosverem: Na foto, duas mulheres em uma manifestação de rua seguram uma faixa em que está escrito “Recomposição inflacionária já! Não à Reforma Administrativo do RRF!”, em letras azuis sobre fundo branco. A palavra “não” está em vermelho. A faixa tem ainda o logotipo do Fosperj. As mulheres estão de máscara e usam camisas brancas do Fosperj. Fim da descrição.

Artigo anteriorRetorno presencial e Congresso do Andes-SN em discussão
Próximo artigoEmendas ao PL que incorpora a Uezo à Uerj propõem aumento nos valores de representações e comissões