Rede estadual segue mobilizada após descontos salariais por conta da greve. Ato nesta quarta às 10h

0
480

Na próxima quarta-feira, dia 02/8, os profissionais da rede estadual de educação se reunirão a partir das 10h em frente ao Palácio Guanabara para protestar contra o governo Cláudio Castro. De acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação-RJ (SEPE-RJ) o governo aplica uma política punitivista ao cortar parte do salários dos professores que estiveram em greve por 43 dias – greve encerrada no dia 29 de Junho.

Como forma de amenizar o impacto, o sindicato se mobilizou para fornecer cartões de vale alimentação de “até R$ 300” para professores que sofreram descontos no último contracheque. Mas a pressão será pela suspensão imediata dos descontos e seu consecutivo estorno.

A Asduerj e o Andes-SN repudiam essa grave retaliação e se solidarizam com a luta dos companheiros da rede estadual. Segundo Renata Gama, vice-presidente da Regional do Andes-SN, a condição atual dos servidores públicos do Rio de Janeiro é “insustentável”.

“O último ataque foram os descontos efetuados pelo governador Cláudio Castro nos salários dos grevistas da educação da rede básica de ensino que lutam pela implementação do piso (lembrando que o salário do magistério do Rio de Janeiro é o pior do Brasil). Castro deveria efetuar as devoluções do valor descontado, mas até agora não o fez.”, declarou.

Renata chama também atenção para a importância da mobilização nas ruas, junto ao SEPE-RJ: “Amanhã o SEPE convoca um ato em repúdio aos descontos. Importante todos nós nos somarmos nessa luta, que é pela educação no ERJ, que está extremamente negligenciada por esse governo, e não deixa de ser também pela exigência de respeito a categoria dos educadores, pela valorização das escolas, em nome de toda comunidade fluminense e conjunto dos servidores, em repúdio a todos os desrespeitos do governador ao serviço público.”

“Castro é um governador que não está cumprindo os acordos, dando um calote nos servidores públicos com relação a segunda parcela de recomposição salarial (Lei Estadual nº 9.436/2021), deixou os aposentados sem a recomposição inflacionária de 2022 (5,9%), segue sem negociar e dialogar. Acredito que só com a unidade dos servidores, junto com a população, é que o governador fará a sua obrigação com relação ao cumprimento dos acordos, das leis e valorizará as pautas que realmente importam no nosso Estado.”, concluiu Renata Gama.

A manifestação de quarta-feira foi decidida após assembleia da rede estadual, realizada na ABI no último sábado (29/7). A próxima assembleia da rede estadual será no dia 19/8, em local a ser definido pelo SEPE-RJ. Por nenhuma punição aos grevistas da educação!

Foto: Gustavo Sixel (Divulgação SEPE-RJ)

Artigo anteriorAmeaça ao Regime de Trabalho com Dedicação Exclusiva é tema de reuniões da Asduerj com Jurídico e ex-presidentes do Sindicato
Próximo artigoNota da Asduerj em solidariedade aos profissionais da Educação da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro