Seções Sindicais do Andes-SN repudiam violência política e tentativas de deslegitimar as eleições

0
139

O 65º Conad (Conselho Nacional de Associações Docentes) realizado em Vitória da Conquista (BA), de sexta a domingo passados, aprovou em sua sessão de encerramento uma moção de apoio à campanha paz nas eleições, organizada por entidades da sociedade civil. Deliberou ainda moção de repúdio ao assassinato do tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda.

O evento, que é o segundo mais importante no calendário anual do Andes-SN, responsável por atualizar o plano de lutas aprovado no Congresso do Sindicato, também serviu de espaço para se repudiar a escalada da violência política no país.

A violência contra políticos e militantes de esquerda, às vésperas do que promete ser a mais polarizada campanha eleitoral da nossa história, preocupa. E muito. O assassinato do tesoureiro do PT acendeu o sinal de alerta. Mas a comoção e a indignação geradas pelo crime político não parecem suficientes para frear ações semelhantes por parte de indivíduos, grupos e políticos da extrema direita.

No Rio de Janeiro, berço do bolsonarismo, onde parte considerável do território é dominado por milícias fortemente armadas e com grande influência política, a preocupação é redobrada. O assassinato da vereadora do Psol Marielle Franco, ainda sem solução após 4 anos de investigação, não permite que seja diferente.

Parlamentares sofrem ataques de deputado bolsonarista

Episódios de violência a políticos e militantes de esquerda tornaram-se cotidianos no estado. Mesmo um evento com grande aparato de segurança, como o ato com Lula e Freixo, na Cinelândia, no último dia 7, não escapou a esta rotina. Num dos últimos episódios, no sábado, 16/7, um grupo de homens armados, liderados pelo deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB), invadiu e ameaçou militantes em um ato de apoio a Freixo.

Amorim, que foi eleito pelo PSL, partido pelo qual Bolsonaro concorreu à presidência, tornou-se notável pela truculência. Desde a quebra da placa em homenagem a Marielle, seu cartão de apresentação a potenciais eleitores, às ameaças e ataques recentes contra políticos de esquerda, o deputado tem protagonizado uma série de horrores como principal marketing eleitoral. Num destes, inclusive, atacou estudantes e membros da comunidade universitária durante um debate sobre as cotas na Uerj.

No dia 4 de julho, a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Rio de Janeiro, órgão do Ministério Público (MP) Eleitoral/RJ, denunciou o deputado por violência política de gênero, com acusações que incluem ofensas, constrangimento e humilhação. Os alvos dessa vez foram a vereadora trans Benny Briolly, do Psol de Niterói, a deputada estadual Renata Souza e o vereador do Rio Tarcísio Motta, ambos do mesmo partido que a vereadora.

No final de junho, as parlamentares foram ameaçadas de morte por mensagens de e-mail associado ao gabinete de Amorim. No entanto, peritos não comprovaram a autenticidade do emissor. Para o presidente da Asduerj, Guilherme Leite, a ameaça de morte a Renata Souza e Benny Briolly é inadmissível.

“Se o e-mail de Rodrigo Amorim foi utilizado por terceiros, mostra que as ações violentas e conservadoras do deputado pavimentaram a possibilidade de sua plataforma ser aproveitada por indivíduos e/ou grupos de índole fascista que buscam impor uma sociedade autoritária. Apurar e punir os responsáveis é essencial para impedir que o projeto de violência política e atraso econômico, do qual Rodrigo Amorim participa ativamente ao lado de Bolsonaro, possa prosperar”, afirma o presidente da Asduerj.

Uma moção de repúdio a Rodrigo Amorim pelos fatos ocorrido no último sábado também foi aprovada no 65º Conad. O documento cobra ainda uma detalhada apuração dos fatos. Delegados e delegadas também repudiaram as tentativas de setores autoritários de deslegitimar o processo eleitoral deste ano. As professoras Fátima Sueli e Daniele Brandt representaram a diretoria da Asduerj no evento.

Saiba mais sobre o Conad

#Paratodosverem: Foto dos participantes do Conad juntos, todos de máscara, com os punhos levantados. Atrás do Grupo está um painel reproduzindo o cartaz do 65º Conad. Fim da descrição

Artigo anteriorComissão para Retorno Presencial da PR5 retoma atividades e anuncia iniciativas
Próximo artigoRecomposição salarial e auxílios dos servidores (as) públicos do Estado do Rio de Janeiro continuam em xeque com novo Regime de Recuperação Fiscal