Comissão para Retorno Presencial da PR5 retoma atividades e anuncia iniciativas

0
100

A “Comissão para avaliação, planejamento e implementação das ações necessárias ao retorno presencial” no âmbito da Pró-Reitoria de Saúde da Uerj (PR5) retomou suas as atividades no dia 6 de julho. O fórum constituído por membros de unidades e entidades representativas da Uerj não se reunia desde fevereiro. A retomada das atividades da Comissão é o primeiro ponto da carta de exigências aprovada em assembleia docente no dia 21 de junho e reiterada na assembleia comunitária realizada no dia 5 de julho. Para a Asduerj, trata-se de uma importante iniciativa para retomada do diálogo sobre as condições para o retorno presencial seguro na Uerj.

Na reunião foi discutida a perspectiva de unificação das ações e das deliberações da Comissão (que deverá mudar de nome e atualizar sua composição) com as do Núcleo de Vigilância em Saúde da PR5. O objetivo é que o grupo possa tratar de situações, para além do retorno seguro, que demandem vigilância em saúde, como possíveis novas epidemias e questões mais permanentes com a relação à segurança sanitária como a prevenção de incêndios na universidade.

Outras questões levantadas foi o incentivo ao retorno das atividades das comissões setoriais de saúde e a realização de oficinas sobre as formas de minimização do risco de contaminação pela Covid, a partir da utilização de ferramentas para melhorar a qualidade do ar. O acompanhamento da pós-Covid/Covid longa entre os membros da comunidade também foi debatido pela Comissão, que apontou a necessidade de a universidade oferecer espaços de acolhimento e escuta para a sensibilização das sequelas pós-COVID.

A Comissão deverá voltar a se reunir na primeira quinzena de agosto.

Novos polos de testagem

Durante a reunião, foi informado pelo representante da PR5 que seriam criados cinco novos polos de testagem na universidade, contemplando um dos itens de exigência da carta aprovada pelas assembleias docente e comunitária. No entanto, em reposta a e-mail enviado pela Asduerj, a assessoria da Pró-Reitoria confirmou, na última sexta-feira, 15/7, a instalação de apenas três novos polos nos campi de Duque de Caxias (Febf), Nova Friburgo (IPRJ), e São Gonçalo (FFP).

Segundo a PR-5, o polo de Friburgo deverá estar em operação em até 15 dias. Os demais estão em processo de operacionalização, com a contratação de pessoal, treinamento, contratação de empresa responsável pelo gerenciamento dos resíduos entre outros procedimentos. O horário de funcionamento ficará a critério das Unidade.

Outra reivindicação, parcialmente contemplada, foi a ampliação do horário do polo de testagem no campus do Maracanã. A demanda das assembleias docente e comunitária era de que o funcionamento do polo se estendesse pelos três períodos de atividade da universidade (manhã, tarde e noite). Apesar de na reunião a PR5 ter anunciado a extensão do período para até às 18h, efetivamente o horário inicial de 8h às 11h, foi ampliado até às 14h apenas.

Vacinação

A Reativação do posto de vacinação no campus Maracanã – outro item da Carta – também entrou em discussão na reunião da Comissão. O posto original era parte de um projeto de extensão da Faculdade Enfermagem e encerrou suas atividades no dia 31 de maio, após vacinar mais de 95 mil pessoas. A PR-5 afirma que não há previsão para a retomada do Posto, pois precisaria haver a liberação dos lotes de vacinas pela Secretaria Municipal de Saúde que, no momento, só aprova a aplicação a Profissionais da Saúde de acordo com a faixa etária prevista no Plano Nacional de Imunização.

Comissão Asduerj

Na quarta-feira, 13/7, aconteceu a primeira reunião presencial da Comissão da Asduerj para Retorno Seguro (foto). Composta por representantes da diretoria e da base do Sindicato, o grupo reuniu mais de uma dezena de docentes e traçou diretrizes para acompanhamento e consecução dos itens constantes na Carta aprovada pela assembleia comunitária.

65º Conad atualiza Plano Sanitário e Educacional

Encerrado neste domingo, 17/7, o 65º Conad do Andes-SN, realizado em Vitória da Conquista (BA), aprovou diversas diretrizes sanitárias para que as Seções Sindicais desenvolvam ações de luta em todas as instituições de ensino superior públicas em defesa da garantia de estrutura física de funcionamento das IES com segurança para o retorno presencial e pela construção democrática de um “Plano Sanitário e Educacional: em defesa da vida e da educação”, com a participação dos segmentos de suas comunidades acadêmicas. 

As delegadas e os delegados votaram, por exemplo, medidas relativas às condições de busca e de recuperação da saúde daqueles e daquelas que tiveram suas condições de vida afetadas pela covid-19 e pelas condições de trabalho exaustivas durante a pandemia, incluindo a atenção de saúde por profissionais de saúde biomédica e vitalista. E que os e as docentes que, nesse momento, não deveriam retornar às atividades presenciais, tenham todas as garantias de não prejuízo na carreira e no salário, ou de qualquer outra natureza. O plano atualizado será encaminhado às seções sindicais. 

Artigo anteriorManifestações no Rio e em Brasília cobram recomposição do orçamento das federais
Próximo artigoSeções Sindicais do Andes-SN repudiam violência política e tentativas de deslegitimar as eleições