Witzel inclui universidades do Estado em Programa de Desestatização

0
4536

O governador Wilson Witzel (PSC) encaminhou nesta segunda-feira, 20/4, à Alerj o Projeto de Lei nº 2419/2020, em que solicita autorização para retomar o Programa Estadual de Desestatização – PED.

Para isso, o PL revoga os artigos 9º e 10 da Lei 7941/2018, que impedem a extinção das universidades, sociedades de economia mistas, empresas e outros entes públicos do estado, como a Faperj e a Faetec.

Na mensagem que encaminha o PL, Witzel enumera as diversas modalidades pelas quais as privatizações podem ocorrer. Entre essas, a “transformação, incorporação, fusão ou cisão; Extinção da pessoa jurídica, com a alienação dos seus ativos”.

A iniciativa do executivo estadual foi destaque em veículos de comunicação nesta terça-feira, 21/4, que registraram a contrariedade de parlamentares e entidades representativas de servidores públicos ao Projeto de Lei.

Em entrevista à BandNewsFM, a diretora da Asduerj Renata Gama criticou a medida e destacou o protagonismo das universidades “em pesquisas, que podem ajudar no combate à Covid-19”. Lembrou ainda que as universidades estão atuando firmemente e frontalmente na batalha contra a Covid-19. “É uma incoerência, um absurdo, nesse momento o Governo falar de privatização”, conclui.

Posição semelhante foi defendida pelo presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Alerj, Waldeck Carneiro (PT). Para ele, “uma coisa que a pandemia nos ensinou, é que a ciência é fundamental. Como colocar as universidades no hall de órgãos a serem privatizados?”

Segundo a justificativa do governador, o PL deve-se “às necessárias medidas gerenciais que objetivam otimizar os escassos recursos públicos para atividades que, de fato, resultem em impacto na vida do cidadão”.

Veja a íntegra das reportagens na BandNews e no Jornal O Dia

Artigo anteriorUerj reconhece a desigualdade entre os estudantes e institui vale-alimentação para alunos do CAp durante a quarentena
Próximo artigoTriênios: após mobilização de servidores e pedido da Alerj, STF retira ADI 4782 de pauta