Silêncios e recusas ao racismo institucional na educação fundamental

0
92

Jorge Luiz Barbosa
Professor titular da Universidade Federal Fluminense (UFF), Departamento de Geografia

Sônia Beatriz dos Santos
Professora associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)
Faculdade de Educação, Departamento de Ciências Sociais e Educação

Natalia Conceição Viana
Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)

Aruan Francisco Diogo Braga
Bacharel em Ciências Sociais e Licenciado em Sociologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Resumo: Neste trabalho, apresentamos referências críticas objetivando a compreensão do racismo em seus processos mais gerais e como se reproduz na sociedade brasileira, em especial em espaços institucionais, conformando o que tem sido identificado como racismo institucional. O texto foi organizado em cinco partes. Apresentamos breve discussão acerca do racismo como sistema complexo e paradigma societário no Brasil. Na segunda seção, abordamos o racismo institucional como operador de desigualdades e distinções de direitos. A seguir refletimos sobre a questão do racismo institucional no ensino fundamental. E, na quarta seção, destacamos a problemática do silêncio no que se refere a discussão do racismo e do racismo institucional. Por fim, discutimos o que denominamos de percepções e modos de lidar com o racismo institucional no ensino fundamental. Concluímos buscando tecer algumas propostas e recomendações. A discussão apresentada teve como base a revisão da literatura sobre relações étnico-raciais, racismo e racismo institucional, em especial, referências que abordavam a questão da educação; adicionalmente, trabalhamos com os resultados de pesquisa de campo desenvolvida no período de 2018 e 2019 com professoras/es e gestoras/es da educação pública em escolas localizadas nas cidades do Rio de Janeiro, pelo Observatório de Favelas da Maré.

Palavras-chave: Racismo institucional; Racismo; Educação fundamental.

SILENCES AND REFUSALS TO INSTITUTIONAL RACISM IN ELEMENTARY EDUCATION

Abstract: In this work, we present critical references aiming to understand racism in its more general processes and how it is reproduced in Brazilian society, and especially in institutional spaces, shaping what has been identified as institutional racism. The text is organized into five parts. We present a brief discussion about racism as a complex system and societal paradigm in Brazil. In the second section, we approach institutional racism as an operator of inequalities and distinctions in rights. Next, we reflect on the issue of institutional racism in Elementary School. And in fourth section, we highlight the issue of silence regarding the discussion of racism and institutional racism. And finally, we discuss what we call perceptions and ways of dealing with institutional racism in elementary school. We conclude by trying to make some proposals and recommendations. The discussion presented was based on a review of the literature on ethnic-racial relations, racism and institutional racism, especially references that addressed the issue of education.

Keywords: Institutional racism; Racism; Elementary education.

Artigo anteriorQuem é negro nas políticas de ações afirmativas?
Próximo artigoPolítica de ação afirmativa na pós-graduação na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro: percurso e reflexões provocativas